Restaurante Self Service

Como Montar Um Restaurante Self Service

Como Montar Um Restaurante Self Service Ser proprietário de um restaurante self-service é uma ótima oportunidade de gerar emprego e renda Os restaurantes self-service surgiram em virtude das exigências do mundo moderno e, com certeza, esta será uma tendência cada vez mais crescente. As pessoas procuram esse tipo de serviço devido à praticidade e rapidez das refeições, economizando tempo e dinheiro. Ser proprietário de um restaurante self-service é uma ótima oportunidade de gerar dinheiro, uma vez que esse tipo de negócio está alocado em um dos ramos da economia brasileira que mais vem crescendo. Veja algumas dicas importantes para montar o seu próprio restaurante:  Abertura Para a abertura de qualquer empreendimento, é necessário fazer um estudo de mercado para verificar a concorrência. Em capitais, existem uma variedade desse tipo de serviços nas praças de alimentação de shoppings e centros comerciais, concentrando diversas opções para os clientes, podendo comportar-se como concorrentes diretos ou indiretos.  Localização Mesmo com uma alta concorrência, um serviço com boa qualidade é raro, e, por isso, sempre há vaga para mais um. Um dos fatores mais importantes para o sucesso do empreendimento é a localização. É preciso estudar o perfil do cliente, ou seja, aquilo que o cliente busca em um restaurante self-service. Geralmente, são pessoas que buscam refeições saudáveis, rápidas e práticas entre onze horas da manhã e duas horas da tarde. Dessa maneira, é ideal que o restaurante esteja próximo de escritórios e centros comerciais, com grande fluxo de pessoas.  Estrutura Levando em consideração a estrutura do restaurante, o empreendedor deve ter consciência de que o investimento não é baixo, tendo um valor aproximado de 50 mil reais para a aquisição de móveis e maquinários necessários, fora os custos com licenças e funcionários. Geralmente, o maquinário é composto por um ou dois fogões industriais (esse número varia de acordo com o fluxo de clientes), refrigeradores e congeladores (que vão armazenar bebidas e alimentos), e um balcão para o self-service, que precisa ter um sistema de aquecimento para manter os alimentos sempre quentes e com uma boa aparência. Lembre-se que o restaurante é um investimento excelente, porém, deve ser encarado como um negócio sério, e não apenas como uma complementação da renda, uma vez que são necessários planejamento e boa administração.          ...

Leia Mais »

Restaurante Self-Service

Restaurante Self Service O controle minucioso dos gastos de um Self-Service é fator indispensável para que se obtenha sucesso no gerenciamento do restaurante e para que o negócio prospere. Atualmente, com a vida agitada que muitos levam, o restaurante self-service é uma excelente opção, já que oferece refeição rápida e econômica. Além de as pessoas economizarem tempo e dinheiro, elas poderão escolher qual alimento irão comer. Algumas pessoas que vivem sozinhas nas capitais optam por este tipo de comodidade. Outras que exercem atividades fora da sua cidade procuram o melhor self-service. Por esses e outros motivos, o self-service torna-se um negócio promissor e rentável. Pessoas não irão faltar, se o seu ponto for bom e a qualidade da comida e do serviço forem impecáveis. No entanto, deve-se fazer o controle de todos os gastos para que o negócio prospere. Cálculo da produção Para minimizar desperdícios e para que não falte comida, é necessário fazer cálculos para os primeiros sete dias, bem como fazer anotações minuciosas para, a partir delas, calcular quanto de cada alimento deverá ser preparado. Para planejar melhor o seu atendimento, é necessário levar em conta que cada cliente leva, em média, 30 minutos para fazer sua refeição. Com este dado, fica fácil programar a sua capacidade de atendimento dentro do horário de 11 às 14 horas. Portanto, se o período de almoço é de três horas, que equivale a cento e oitenta minutos, e a permanência do cliente é de cerca de trinta minutos, dividindo cento e oitenta por trinta, teremos seis. Ou seja, são seis turnos ou rodadas. Em cada turno, atende-se em torno de trinta a quarenta pessoas, portanto, o total médio será de duzentas e dez pessoas. Veja, a seguir, o consumo médio por pessoa: Salada……………………………………………………. 65g Arroz ……………………………………………………… 85g Feijão…………………………………………………….. 100g Carnes…………………………………………………… 150g Tortas, suflês, croquetes e outros…………………. 100g Total……………………………………………………….. 500g Quanto de carne se deve preparar? Quanto de arroz se prepara em um dia de semana comum e em um dia de domingo ou feriado? Por exemplo, se para cada pessoa deve-se preparar 150 gramas de carne, logo 150 x 210 = 31,500 kilos de carne preparada. Se para cada pessoa deve-se preparar 85 gramas de arroz, 85 x 210 = 17,850 kilos de arroz deverão ser preparados. Em pouco tempo, as cozinheiras saberão exatamente a quantidade que deverá deve ser feita de cada tipo de alimento. Nada como a prática. Portanto, você deverá adaptar estes cálculos à realidade do seu restaurante após observar o movimento e o consumo nos primeiros dias. Controle dos gastos Uma das grandes vantagens do self-service é que o cliente sempre sabe quanto mais ou menos vai pagar. É lógico que inúmeros fatores, como ambiente mais luxuoso, garçons mais qualificados, maior sofisticação dos cardápios, entre outros, alteram o custo, porém o cliente sempre saberá se está pagando o preço justo correspondente ao serviço. O que deve...

Leia Mais »

Como Montar Um Restaurante Self Service

Como Montar Um Restaurante Self Service A localização ideal é aquela com grande concentração de pessoas, principalmente trabalhadores com pouco tempo para as refeições. Fundamental é observar o bairro ou a cidade pretendida, para saber se existe clientela que justifique o empreendimento, já que em pequenos bairros não há mercado consumidor suficiente.   O ideal é que a entrada do salão fique na frente da loja, o caixa ao lado da porta de entrada, o balcão com pratos frios e saladas, em primeiro plano dentro do salão e ao seu lado a mesa com pratos e talheres. Em seguida, instala-se o balcão dos pratos quentes e, por fim, a balança eletrônica para pesagem. Mesas e cadeiras deverão estar dispostas de forma a evitar atropelos no momento em que o cliente se serve. E para “fechar” a refeição, uma mesa arrumada para servir café ou chá.   A cozinha deve ficar ao fundo, com uma porta que facilite o reabastecimento do salão (uma boa idéia é o balcão “passa-pratos”). Os equipamentos na cozinha devem ser colocados a uma distância que não atrapalhe a circulação dos funcionários. Por motivos de segurança, botijões de gás deverão ser instalados em local protegido, ao lado da cozinha. Ao lado do salão deverá funcionar o escritório/depósito, com as prateleiras de mantimentos distribuídas em forma de corredor. A cozinha pode ser dividida em duas: uma para os pratos quentes e outra para o bufê de frios. Esta divisão facilita a organização e a produção.   Escritório e Depósito A estocagem dos alimentos requer local seco, fresco e limpo. O uso de prateleiras para guardar todos os produtos e conservação destes é muito importante, no caso do escritório não foge a regra do convencional. Equipamentos Alguns dos equipamentos necessários para a montagem de um restaurante são: • Fogão industrial; • Freezer´s e geladeiras comerciais; • Processadores de alimentos, liqüidificadores industriais, espremedores industriais de suco de frutas; • Balcões térmicos frio e a vapor; • Utensílios de cozinha (panelas, talheres, pratos, botijões de gás, toalhas, porta-guardanapos); • Balanças eletrônicas e caixas registradoras; • Mesas e cadeiras; • Material de escritório em geral; • Computadores, fax e telefone; • Veículos, etc…. Investimento inicial O investimento inicial varia de acordo com o ponto escolhido, o tamanho do estabelecimento e os materiais. Para um pequeno restaurante, esse valor oscila entre R$ 60 mil e R$ 120 mil, com gastos na compra dos equipamentos, organização do estoque inicial e despesas do primeiro mês de funcionamento da casa. Mão de obra A “mola-mestra” do negócio é um bom profissional na cozinha (mesmo que seja o próprio dono ou algum familiar com experiência) significa o “pulo do gato” para o restaurante. O número de pessoas envolvidas irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento, sendo que a mão de obra básica deve contar com cozinheiros, ajudantes e atendentes. Cardápio O cardápio, junto com...

Leia Mais »