Saúde

Receitas de Sucos Diuréticos

Receitas de Sucos Diuréticos Diuréticos são os elementos contidos em certos alimentos e frutas que combatem a hidropisia, que é o acúmulo de líquidos nos tecidos do corpo. Esse inchaço ou edema, como também é chamado a hidropisia, é o sintoma clínico de doenças renais, cardíacas e digestivas. A retenção de líquidos não é algo isolado, é um sinal de que seu corpo tem algo de errado relacionado com os sistemas já ditos. Então, muitas vezes você pode combater esse problema cuidando bem da alimentação em casa, fazendo sucos diuréticos com os alimentos e frutas elencados abaixo e fazendo mix entre eles adicionando gengibre, laranja, acerola, fazendo com que toxinas sejam eliminadas e essas frutas com vitamina C tomando os espaços deixados na eliminação do que faz mal, vejamos as 7 sugestões de sucos diuréticos: Suco Diurético de Melancia Rica em água, o que a faz um excelente diurético natural, tem licopenos, antioxidantes que combatem os radicais livres. Possuem também aminoácidos que aumentam os diâmetros das veias melhorando o fluxo sanguíneo e com isso auxiliam na eliminação de líquidos e toxinas retidas no corpo, tecidos e intestino. Para tanto, bata no liquidificador 2 pedaços grandes de melancia sem sementes com um pedacinho de gengibre. Acrescente 100 ml de água e, se preferir, bata 2 cubos de gelo para que fique bem geladinho e refrescante. Suco Diurético de Pepino É uma planta cujo efeito é parecido com o da melancia, porém, contém nitrogênio e silício, minerais estes que alcalinizam o corpo e combatem o ácido úrico, fazendo muito bem aos rins. O pepino é o diurético por excelência, rico em ácido ascórbico que faz bem aos rins e também potássio, que impede as câimbras. Bata um pepino com 3 acerolas e 100 ml de água. Beba o suco preparado na hora para conservar seus nutrientes. Suco Diurético de Cenoura Ela possui elevado teor de antioxidantes, vitaminas e minerais, é considerada um dos diuréticos mais recomendados porque desintoxica o corpo, acelera o metabolismo e atrasa problemas com a visão relacionados com a falta de lubrificação dos olhos. Recomenda-se comer cenoura duas vezes ou mais na semana, e também cenoura batida com sucos naturais potencializam seus efeitos benéficos. Bata 1 cenoura com o suco de uma laranja e 100 ml de água. Suco Diurético de Tomate Contém muita água e muitos antioxidantes, tais como vitamina C, selênio, betacaroteno e licopeno. Evita danos dos radicais livres nas paredes das veias que causam inflamação e vazamento de líquidos corporais. Além disso, quando cozidos para fazer molhos para outros pratos, aumentam suas propriedades que inibem o câncer. Retire as sementes de 2 tomates e bata-os com o suco de 1 laranja e 100 ml de água. Suco Diurético de Beterraba Ela ajuda a melhorar as funções dos renais e hepáticas. Rica em ferro, que ajuda a limpar os depósitos de gorduras. Quando batida nos sucos,...

Leia Mais »

Dicas Para Ter Uma Vida Saudável Sem Neuras

Dicas Para Ter Uma Vida Saudável Sem Neuras A vida cotidiana muitas vezes é brutal e desgastante. Na correria do dia a dia, com tantas obrigações, deixamos o auto-cuidado de lado e com isso também a saúde. Você pode até ter uma vida regrada, mas quando a rotina pesa provavelmente algumas coisas ficam em segundo plano. Afinal, se você chega tarde em casa, cansada, só quer saber de resolver as pendências essenciais e ir dormir. No entanto é preciso cuidar de si para ter uma vida saudável, de forma a não prejudicar a sua saúde e sua qualidade de vida e ser uma mulher feliz e poderosa. Não consegue pensar como fazer tudo isso dar certo? Veja 13 dicas para conciliar a correria e a rotina com uma vida saudável, sem neuras e sem dificuldades! Cuide do seu sono O sono é uma das partes mais importantes da sua vida e merece cuidado! É durante esse período que você recupera as energias perdidas durante o dia, a mente descansa após passar pelos estresses do cotidiano, os músculos se regeneram, há a regulação da temperatura corporal, a memória se consolida, os hormônios são liberados, entre uma série de outras funções vitais importantes para o organismo. A privação do sono pode levar ao aumento do estresse, crises de falta de memória recente, além de aumentar as chances de problemas cardiovasculares, reduzir a concentração, e favorecer, em alguns casos, o surgimento/desenvolvimento de dores no corpo, dor de cabeça, obesidade e envelhecimento precoce. Recomenda-se que você nunca durma menos do que 5 horas seguidas por noite. A média ideal é 8 horas, mas há quem necessite de mais ou menos tempo. Por isso tente se programar sempre para cumprir o número mínimo de horas por noite. Desligue-se do mundo online Você tem a sensação de que é engolida por informações o tempo todo? Anda se sentindo cansada e constantemente ansiosa? Pode ser excesso de tempo online, sabia?! Todo o tempo que ficamos conectados em redes sociais e aplicativos somos bombardeados de dados: informações de amigos, notícias, discussões, memes, vídeos, fotos e não descansamos a mente como deveríamos. Quando os dias estão mais parados tendemos a ficarmos ansiosas em busca de notícias novas, não é? Isso é um sinal de que é hora de colocar o pé no freio. Tire um tempo, desligue-se do celular e do computador e aproveite para fazer coisas diferentes. Admire um dia ao ar livre, saia para fazer alguma coisa que goste, vá ao cinema, enfim, passe um momento longe de todo esse alvoroço virtual. Você verá como isso fará uma grande diferença na sua rotina! Faça algo que realmente goste Qual foi a última vez que você tirou um tempo para fazer algo que realmente goste, sem ser por obrigação? Por exemplo, ler um livro, fotografar, correr, andar de bicicleta, ir à praia, ir ao cinema, ou qualquer...

Leia Mais »

Estômago Alto Como Aliviar e Prevenir Este Problema

Estômago Alto Como Aliviar e Prevenir Este Problema O estômago alto é um transtorno geralmente causado pela distensão abdominal, que faz com que essa parte da barriga fique com um volume maior. Além da questão estética, essa é também uma questão de saúde. O problema pode ter diferentes causas, tanto relacionadas ao aumento de peso, quanto à genética, já que uma pessoa magra também pode ter estômago alto. A nutricionista Haline Dalsgaard, idealizadora do projeto online “Saúde no prato”, e a cosmetóloga Lia Mezzomo, do salão Jacques Janine Rio Sul, no Rio de Janeiro, explicam que o mais importante é conhecer bem o funcionamento de cada organismo e, assim, identificar o que pode estar acontecendo. A seguir, elas explicam algumas situações comuns para quem tem esse problema, falam dos alimentos mais e menos indicados, além de dicas para ajudar a evitar ou reduzir o estômago alto. Quais as possíveis causas? A má digestão ou a formação de gases, causadas pela forma como comemos, podem influenciar o surgimento do estômago alto. Veja algumas causas mais comuns: Consumo excessivo de alimentos, o que sobrecarrega e lentifica a digestão. Intolerância a algum tipo de alimento, que pode causar fermentação e produção de gases. Problemas gastrointestinais como flatulência excessiva, inchaço abdominal, diarreia, constipação ou síndrome do intestino irritável. Situações que levam ao acúmulo de gordura na região abdominal. Questões genéticas, independente do tipo físico ou da alimentação. Para cada caso, a forma de lidar com o problema deve ser diferente. Você deve consultar um(a) nutricionista ou gastroenterologista para te ajudar a identificar o que precisa ser feito. Como tratar? Com relação ao tratamento do estômago alto, a alimentação é o principal ponto, já que, a forma como comemos e os alimentos consumidos, fazem a diferença por agravarem ou atenuarem o problema. Atividades físicas e outros tratamentos também podem ajudar. Confira: Alimentação adequada De acordo com a nutricionista Haline, a primeira medida é reduzir a quantidade dos alimentos nas refeições e aumentar o número de refeições ao dia. “Ao invés de simplesmente tomar o café da manhã, almoçar e jantar, é mais interessante reduzir a quantidade de comida no prato e ‘quebrar’ o intervalo da manhã e da tarde com pequenos lanchinhos”, explica. Comer do jeito certo A forma de comer também pode influenciar a produção de gases, devido à deglutição de ar ou má digestão, que provocam flatulências. “Comer rápido demais ou falar enquanto se alimenta pode ser um grande inimigo da digestão”, alerta a nutricionista. Evitar alimentos que fazem mal Haline também lista alguns alimentos que devem ser consumidos com moderação, como: açúcares, mel, xarope de milho; farinhas refinadas (por não possuírem fibras); leites e derivados, quando a lactose causa fermentação e desconforto; adoçantes como xilitol, manitol e sorbitol, muito usados em balas e chicletes dietéticos; verduras como couve, repolho, couve-flor e chicória, legumes como beterraba e cenoura, frutas como melancia, caqui...

Leia Mais »

Alimentação para diabéticos: dicas de dieta para manter a doença sob controle

Alimentação para diabéticos: dicas de dieta para manter a doença sob controle A diabetes afeta o corpo de muitas maneiras diferentes, e pode até mesmo ser fatal, mas suas escolhas alimentares também podem ter um grande impacto sobre o quanto esta condição afeta sua saúde. Uma dieta para diabéticos contendo grãos, proteínas, frutas, vegetais, gorduras e laticínios é a sua melhor aposta se quer manter uma vida normal com diabetes. A diabetes tem sido chamada de uma pandemia moderna por alguns, já que mais de 350 milhões de pessoas ao redor do mundo são afetadas por ela. Essa doença vem em duas formas primárias, tipos I e II, mas há também a diabetes gestacional, que é limitada a mulheres grávidas. Estas duas formas de diabetes referem-se à deficiência de seu corpo em relação a produção de insulina e o equilíbrio da glicose. Quando nós consumimos carboidratos que se transformam em açúcares simples, o açúcar no nosso sangue sobe. A insulina é responsável pelo transporte de glicose para as células do organismo, onde pode ser utilizada para a produção de energia. Agora, no caso de diabéticos, ou o corpo é incapaz de produzir insulina suficiente ou não consegue utilizar a insulina que produz. A diabetes é uma condição que pode ser afetada pela sua dieta, e seu nível de ingestão de açúcar, por isso, a alimentação para diabéticos, é muito importante para controlar a doença. Como mencionado acima, há alguns tipos de alimentos que são bons, bem como outros que essas pessoas devem evitar ou moderar seu consumo. Agora, vamos explicar o esquema dietético apropriado de alimentação para diabéticos, mas que também serve como uma medida preventiva para aqueles que estão em risco dessa doença. Dicas de dieta para diabéticos Amidos e Grãos (carboidratos) Obviamente, o item alimentar mais relevante para um paciente diabético são os carboidratos. Muitas pessoas desenvolvem diabetes por causa do consumo sem controle desses alimentos. Os amidos podem vir de várias formas, incluindos no pão, arroz, batata e massas, entre muitos outros tipos de grãos, como milho, e centeio. Algumas das piores escolhas nesta área são os cereais matinais e o pão branco, pois estes são alimentos processados feitos de farinha branca refinada. Os carboidratos desses alimentos transformam-se em açúcares simples e muitas vezes sobrecarregam a capacidade de seus pâncreas para produzir insulina suficiente. O outro problema é que os amidos simples são muitas vezes adoçados com açúcar (por exemplo, bolos, sobremesas, doces), o que só agrava o problema. Uma correta alimentação para  diabéticos significa fazer sacrifícios pessoais, mas perceber que vale a pena a longo prazo. Se você é diabético, regular a ingestão de açúcar e carboidratos é de extrema importância. Amidos com açúcares mais complexos, tais como batatas doces, cereais e arroz integrais, e quinoa são as escolhas mais sábias quando se trata de carboidratos, mas mesmo assim, eles devem ser consumidos com moderação,...

Leia Mais »

Como a Alimentação pode Ajudar a Prevenir o Diabetes

Como a Alimentação pode Ajudar a Prevenir o Diabetes No mês de novembro, o dia 14 é dedicado a lembrar de uma doença, que só no Brasil afeta mais de 13 milhões de pessoas: o diabetes. Cerca de 95% dos casos são do diabetes tipo 2, que acontece, na maioria das vezes, pelo descuido com a saúde. Sedentarismo, obesidade, má alimentação e estresse são os principais fatores de risco para o diabetes tipo 2, que também tem um fator hereditário. A boa notícia é que é perfeitamente possível prevenir o desenvolvimento da doença, com a adoção de hábitos saudáveis de vida. O mais importante é que um hábito serve para impulsionar o outro, como por exemplo: ao adotar uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos regularmente, o peso tende a diminuir, o estresse pode ser aliviado e a dieta fica mais regrada. A perda de peso é fundamental, assim como a perda da medida da circunferência abdominal. Isso porque a gordura que se acumula nessa região e se concentra no fígado e nos intestinos, produz substâncias inflamatórias, que podem estar associadas a um conjunto de mudanças no metabolismo como, por exemplo, o aumento da pressão arterial, das taxas de colesterol no sangue e da resistência à insulina. Dados & Fatos:  Consumir alimentos calóricos e gordurosos em excesso aumenta o acúmulo de gordura no abdômen, que favorece a resistência à insulina e pode gerar o diabetes tipo 2 segundo pesquisa, a incidência de diabetes é maior em pessoas que comem muito rápido em comparação àquelas que comem devagar – o risco é 2,5 vezes maior consumir 50 gramas de carne vermelha processada por dia aumenta em 51% o risco de desenvolver diabetes tipo 2.  De olho no seu prato! A alimentação balanceada depende de muitos fatores. É preciso ficar atento à quantidade e à qualidade daquilo que você coloca no seu prato, além de preparar os alimentos de forma saudável. Para ter uma boa saúde é preciso consumir todos os nutrientes, e moderar o consumo de gordura e açúcar. É importante ainda realizar de 4 a 6 refeições por dia, beber no mínimo 2 litros de água e mastigar pelo menos 20 vezes cada garfada. Alimentos integrais X refinados Sempre que possível troque os alimentos refinados pelas versões integrais. Isso porque os integrais conservam a maior parte dos nutrientes como vitaminas, minerais e fibras. Além disso, são de digestão mais lenta, permitindo maior saciedade e um melhor controle das taxas de glicose no sangue. Dica: substitua o pão branco pelo pão integral e o arroz branco pelo arroz integral.  Frutas x Sucos de fruta O suco de fruta é saudável, porém mais saudável ainda é consumir a própria fruta, se possível com a casca e o bagaço. A oferta de nutrientes também é maior, além da quantidade de fibras. Dica: Em vez de tomar um suco de laranja, coma uma...

Leia Mais »

Dicas Simples para Evitar o Estresse no Dia a Dia

Dicas Simples para Evitar o Estresse no Dia a Dia Evite alimentos que podem aumentar o estresse A alimentação pode piorar e também melhorar os quadros de estresse. “Ou seja, o estresse do cotidiano pode ser potencializado pela má alimentação”, diz. “O álcool e a cafeína podem afetar o humor, agindo no sistema nervoso central, provocando insônia, dores de cabeça, ansiedade e sintomas digestivos, como azia, dor de estômago, gastrite, má digestão. E como consequência do aumento da atividade do metabolismo, pode também haver fadiga muscular”, exemplifica a psicóloga. Alguns alimentos agem no aumento do estresse, como refrigerantes, café, chás e chocolates. “Por isso é importante evitar esses alimentos, assim como os industrializados e os processados, as bebidas alcoólicas, os queijos amarelos e os carboidratos refinados (pães, bolos e massas com farinha branca)”, explica Lizandra. Coma com calma Além de evitar determinados alimentos, Lizandra explica que é importante comer de 3 em 3 horas, em ambientes calmos e sem barulho. “Isso ajuda muito no controle do estresse. Frutas, verduras e bastante líquido também fazem o corpo funcionar melhor, aliviando a mente. A mente fica mais sã quando o corpo está mais saudável, sem dúvida”, destaca. Exercite-se frequentemente e com prazer Não basta simplesmente dizer “eu vou à academia diariamente” e sentir que isso é um peso, uma obrigação… O ideal é que cada pessoa identifique o que acalma e abranda seu estresse, de acordo com a psicóloga Lizandra. “Quando a pessoa pratica alguma atividade física, ela está liberando várias substâncias na corrente sanguínea que aumentam a sensação de bem-estar e prazer. A principal delas é a endorfina, substância natural produzida pelo cérebro durante e depois da atividade física. Ela é considerada um analgésico natural, reduzindo o estresse e a ansiedade, aliviando as tensões e sendo até recomendada no tratamento de depressões leves e moderadas”, explica Lizandra. Escolha atividades que acalmem Muitas pessoas se acalmam fazendo boxe ou correndo, por exemplo, mas, outras, podem se dar melhor com atividades mais calmas, como ioga, ou aderindo a massagens relaxantes, meditação, acupuntura… O ideal é pesquisar sobre as mais variadas atividades e escolher aquela que realmente te dará prazer e permitirá que você relaxe, esquecendo-se dos problemas/preocupações do dia a dia. Identifique a fonte de estresse Pensar no que está causando o estresse é muito importante, exatamente para que se possa evitá-lo. A resposta provavelmente está dentro de você, mas, pode ser de extrema importância procurar ajuda profissional, então, não hesite em fazer isso! “O estresse pode estar relacionado a questões práticas, mas também a questões emocionais diversas e, para ter um tratamento adequado, são indicados os profissionais de psicologia, os terapeutas e os psiquiatras”, destaca Lizandra. “Psicólogo e terapeuta tratarão a parte emocional, ajudando o paciente a entender por que o estresse é disparado nele, e o psiquiatra ajudará com os medicamentos, controlando os sintomas e as crises mais severas”, acrescenta...

Leia Mais »